Nassif: delações contra Lula foram obtidas sob tortura | Brasil 24/7


O interrogatório de Renato Duque lembra os processos de Moscou de 1938, onde foram condenados bolchevistas históricos como Lev Khamenev, Gregori Zinoviev, Nikolai Bukharin, Leon Trostsky, Leon Sidov (filho de Trotsky), todos condenados à morte após confissões. Trostsky e seu filho fugiram antes.

As confissões eram montadas e extraídas sob tortura, mas proferidas perante um juiz togado, obedecidos todos os procedimentos legais, com os interrogados em postura de arrependimento e humildade,.

Aliás, o mesmo modelo adotado pela ditadura com a Globo, no início do Jornal Nacional. Depois de obter “confissões” sob tortura, gravava-se uma entrevista na qual o prisioneiro manifestava seu arrependimento. E as imagens iam ao ar pelo Jornal Nacional.

Repetiu-se o mesmo jogo com Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e Renato Duque, ex-diretor da Petrobras. Retransmitido dezenas de vezes pelo sistema Globo, as imagens mostram um homem destruído, no chão, o padrão clássico do interrogado sob t
http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/294166/Nassif-dela%C3%A7%C3%B5es-contra-Lula-foram-obtidas-sob-tortura.htm

Contra patrulha de Holiday, vereadora do PSOL propõe 'Escola sem Censura' | Brasil 24/7


Após o “patrulhamento” do vereador Fernando Holiday (DEM) em escolas municipais de São Paulo para investigar “doutrinação ideológica” nos conteúdos lecionados em sala de aula, a vereadora Sâmia Bomfim (Psol) protocolou na Câmara Municipal o Projeto de Lei (PL) 207/2017, chamado “Escola sem Censura”, para garantir a liberdade pedagógica e para que as escolas sejam democráticas; “A censura acabou há anos neste país e não vamos permitir que o senhor (Fernando Holiday) tenha esse tipo de prática totalitária e intimidatória com os professores do município”, disse nesta terça-feira a vereadora, no plenário da Câmara
http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/288859/Contra-patrulha-de-Holiday-vereadora-do-PSOL-prop%C3%B5e-‘Escola-sem-Censura’.htm

Malafaia é alvo da PF em operação contra fraudes em royalties de mineração | Brasil 24/7


A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira operação em 11 Estados e no Distrito Federal contra um esquema de corrupção em cobranças judiciais de royalties da exploração mineral, que, segundo uma fonte da PF, teve a Vale entre as empresas prejudicadas.

De acordo com a PF, o esquema envolvia a participação de um diretor do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM)detentor de informações privilegiadas a respeito de dívidas de royalties. O suspeito oferecia os serviços de escritórios de advocacia e uma empresa de consultoria a municípios com créditos junto a empresas de exploração mineral para participação na fraude.

A Justiça determinou bloqueio judicial de valores depositados que podem alcançar 70 milhões de reais, segundo a PF.

A chamada operação Timóteo foi iniciada em 2015, depois que a Controladoria-Geral da União (CGU) enviou à PF uma sindicância que apontava incompatibilidade na evolução patrimonial de um diretor do DNPM, que pode ter recebido valores que ultrapa
http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/270875/Malafaia-%C3%A9-alvo-da-PF-em-opera%C3%A7%C3%A3o-contra-fraudes-em-royalties-de-minera%C3%A7%C3%A3o.htm

Servidores da UnB entram em greve contra a PEC 241 | GGN


Nesta segunda-feira (24), os servidores técnico-administrativos da Universidade de Brasília (UnB) entraram em greve em protesto contra o Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 241, que limita os gastos públicos por 20 anos.

Para o Sindicato dos Trabalhadores da Fundação Universidade de Brasília (Sindtfub), a PEC ataca os direitos dos trabalhadores e também é uma ameaça para os direitos sociais.

Mauro Mendes, coordenador do Sintfub, diz que a discussão também envolve a reforma da Previdência e dos direitos trabalhistas, que irão “atingir todos os servidores públicos e todos os setores produtivos do país”.
http://jornalggn.com.br/noticia/servidores-da-unb-entram-em-greve-contra-a-pec-241

Temer retalia contra quem protesta — Conversa Afiada


Interino da Saúde exonera auditores signatários de carta em defesa do SUS; clara tentativa de desarticular serviços de combate à corrupção

Reunidos em Fortaleza (CE), na semana passada, durante o XXXII Congresso do Conasems (Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde), os diretores do DENASUS (Departamento Nacional de Auditoria do SUS/Ministério da Saúde) e os seus chefes nos estados lançaram um documento histórico: A Carta de Fortaleza dos auditores em defesa do SUS.

Em retaliação, o ministro interino da Saúde, o engenheiro e deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), decidiu exonerar os signatários do documento.

No Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira 6, já constam sete dirigentes do DENASUS. O DOU de amanhã provavelmente trará mais nomes de demitidos.

O DENASUS é o departamento de auditoria de todo o Sistema Único de Saúde (SUS). É a cabeça do controle de todas as ações da saúde pública, inclusive contra a corrupção. Ao exonerar os dirigentes do DEN
http://bit.ly/1Y4rdjo