5 lições do procurador que pediu a absolvição de Lula à turma de Curitiba | GGN


O procurador da República Ivan Cláudio Marx, tendo em mãos uma das denúncias mais esdrúxulas apresentadas contra Lula no âmbito da Lava Jato, tinha duas opções: pedir a absolvição do ex-presidente por carência de provas na delação de Delcídio do Amaral ou reciclar a fórmula dos curitibanos e requerer a condenação em cima de teses mais esdrúxulas ainda.

Ivan Marx – um dos primeiros procuradores a atuar na justiça de transição, membro da Comissão Sobre Mortos e Desaparecidos Políticos – escolheu corresponder ao que se espera de um membro do Ministério Público Federal: investigar e apresentar a verdade dos fatos.

Ao sugerir ao juiz da 10ª Vara Federal, Vallisney Oliveira, que Lula seja absolvido do crime de obstrução de Justiça, Ivan Marx deu algumas lições aos colegas liderados por Deltan Dallagnol.

A mais simbólica delas é resumida na seguinte frase: “(…) a crença forte prova apenas a sua força, não a verdade daquilo em que se crê.”
http://bit.ly/2eQ7Avn

Anúncios

Lula: “daqui 14 meses, a gente vai derrubar os golpistas deste país” | Brasil 24/7


O ex-presidente Lula foi mais uma vez homenageado pelo povo do Nordeste neste sábado 2. Em ato na cidade de Picos, no Piauí, o ex-presidente Lula voltou a falar sobre seu retorno à presidência e a criticar o desmonte praticado pelo governo Temer.

“O que eles estão fazendo agora é regredir a economia. Todo dia anunciam um corte. E não é corte do banqueiro, é do trabalhador”, afirmou.

“Hoje dizem que a transposição custou caro, para atender 12 milhões. O Temer gastou 14 Bi só pra convencer 260 deputados a mantê-lo no poder”, disse ainda o ex-presidente, sobre a compra de apoio por Temer na Câmara para se livrar da denúncia de corrupção.

O petista enumerou dezenas de ações de seu governo no Nordeste e defendeu mais uma vez que o “pobre tem que entrar na economia”. “Quando eu dou 10 reis para um pobre, o comércio vende, contrata 1 pessoa a mais, a fábrica produz, contrata 1 a mais… e vai crescendo”, exemplificou.

Ao final de sua fala, mandou um recado: “Pessoal, prestem atenç
http://bit.ly/2ePq0MT

Lula: Moro foi até bonzinho e me deixou com a perua de 1982 | Brasil 24/7


Em entrevista no programa de José Trajano no Youtube, com a participação também dos jornalistas Juca Kfouri e Antero Grecco, o ex-presidente Lula comentou nesta quinta-feira 20 a decisão do juiz Sergio Moro que confiscou R$ 606 mil de suas contas bancárias, todos os imóveis e dois veículos; “O Moro foi condescendente comigo porque ele me deixou a perua de 1982. Inclusive ela até foi roubada. Espero que eles achem ela”, ironizou; na conversa, Lula disse também que quando chegou à presidência “tinha uma obsessão que era provar que poderia governar melhor que a elite que vinha sendo governo”; assista à entrevista

Na conversa, Lula disse também que quando chegou à presidência “tinha uma obsessão que era provar que poderia governar melhor que a elite que vinha sendo governo”. “As pessoas não respeitam você pelo seu tamanho e sim pelo seu caráter. Ou tem ou não tem”, afirmou.

Lula falou ainda sobre a política externa de seu governo: “Quando voltei de Da
https://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/307408/Lula-Moro-foi-at%C3%A9-bonzinho-e-me-deixou-com-a-perua-de-1982.htm

A trajetória de Lula e os dilemas e desafios do Brasil, por Roberto Bitencourt da Silva | GGN


A condenação judicial do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, representa um novo e grave capítulo do movimento golpista empresarial-midiático-judicial, que destituiu ilegitimamente uma presidente eleita e rasgou a Constituição de 1988.

No momento, as consequências imediatas ao ex-presidente não ultrapassam os limites do aborrecimento e da vexação persecutória. Para o sistema político e demais círculos da institucionalidade brasileira, delineados na transição da ditadura à democracia representativa e normatizados na Carta Constitucional de 1988, os efeitos potenciais beiram a pá de cal.

As atitudes em resposta à arbitrária decisão do Judiciário foram heterogêneas, envolvendo amplíssimo leque de opiniões e predisposições políticas no País. Marcadas tanto por comemorações deliberadas, cínicas e irrefletidas, quanto por gestos de solidariedade a Lula. Em relação aos últimos, manifes
http://jornalggn.com.br/blog/roberto-bitencourt-da-silva/a-trajetoria-de-lula-e-os-dilemas-e-desafios-do-brasil-por-roberto-bitencourt-da-silva

Moro/Globo intimidados por Lula: “leão” de Curitiba… miou! – de novo!


Muitos leitores vieram me perguntar o que eu achei da condenação de Lula por Sergio Moro ontem. Queriam saber “quando eu ia publicar um artigo sobre isso”.

Confesso que, assim que saiu a notícia, além de postagem sumária nas redes sociais, não pretendia escrever sobre isso não.

E por quê?

Ora, porque essa “notícia” foi uma…

– … NÃO-notícia!

Pior: foi uma não-notícia visando, justamente, a virar a pauta do noticiário em relação a notícias de verdade.

Ia lá eu fazer o jogo da Globo/ Moro e ajudar a pauta fake a subir?

Tratando dela especificamente?

Não…

Nada disso!

Não que o (não) acontecimento seja irrelevante…

Não é bem isso…

A questão é a minha “pegada” como analista…

Como os leitores já sabem, pensando ~estrategicamente~, meu foco costuma ser muito mais no ~subtexto~ do que nos textos disparados pelos diversos atores do jogo político.

E em “atores do jogo político” entram, evidentemente, a Globo e Sergio Moro.

Muito mais import
http://www.romulusbr.com/2017/07/moroglobo-intimidados-por-lula-leao-de.html#more

Nassif: delações contra Lula foram obtidas sob tortura | Brasil 24/7


O interrogatório de Renato Duque lembra os processos de Moscou de 1938, onde foram condenados bolchevistas históricos como Lev Khamenev, Gregori Zinoviev, Nikolai Bukharin, Leon Trostsky, Leon Sidov (filho de Trotsky), todos condenados à morte após confissões. Trostsky e seu filho fugiram antes.

As confissões eram montadas e extraídas sob tortura, mas proferidas perante um juiz togado, obedecidos todos os procedimentos legais, com os interrogados em postura de arrependimento e humildade,.

Aliás, o mesmo modelo adotado pela ditadura com a Globo, no início do Jornal Nacional. Depois de obter “confissões” sob tortura, gravava-se uma entrevista na qual o prisioneiro manifestava seu arrependimento. E as imagens iam ao ar pelo Jornal Nacional.

Repetiu-se o mesmo jogo com Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e Renato Duque, ex-diretor da Petrobras. Retransmitido dezenas de vezes pelo sistema Globo, as imagens mostram um homem destruído, no chão, o padrão clássico do interrogado sob t
http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/294166/Nassif-dela%C3%A7%C3%B5es-contra-Lula-foram-obtidas-sob-tortura.htm

Renato Duque afirma que Lula tinha ‘pleno conhecimento’ e ‘comando’ de esquema


O ex-diretor da Petrobras Renato Duque afirmou nesta 6ª feira (5.mai.2017) que o ex-presidente Lula (PT) tinha “pleno conhecimento” e “comando” sobre esquema de corrupção que envolvia a estatal. Ele relatou ao juiz Sérgio Moro que se reuniu com petista em 3 ocasiões –2012, 2013 e 2014–, quando já havia deixado a direção da Petrobras e a Lava Jato estava em curso. Assista a esse trecho do depoimento:

No encontro de 2014, Lula teria perguntado a Duque se ele havia recebido algum dinheiro no exterior vindo de contratos de sondas de exploração de petróleo. “Presta atenção no que eu vou te dizer: se tiver alguma coisa, não pode ter. Não pode ter nada no teu nome, entendeu?”.

Lula disse, segundo Duque, que a então presidente Dilma Rousseff “teria recebido informações que um ex-diretor da Petrobras tinha recebido dinheiro em conta na Suíça, da SBM”. Ainda conforme o depoimento, Lula afirmou que Dilma estava preocupada e que iria tranquilizá-la.
http://www.poder360.com.br/lava-jato/renato-duque-afirma-que-lula-tinha-pleno-conhecimento-e-comando-de-esquema/

Lula critica desmonte da indústria naval e pede reação urgente | Brasil 24/7


Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou o “desmonte” da indústria naval brasileira que ele ajudou a recuperar ainda durante o seu primeiro mandato; “Pegamos do zero e levamos a quase 80 mil trabalhadores”, afirmou; “Provamos que é possível recuperar a indústria naval”, disse; ele defendeu a manutenção da política de conteúdo local e criticou a mudança de diretriz da Petrobras, que deveria “continuar a fazer investimento no Brasil, contratando obra e exigindo conteúdo nacional” para evitar o risco de “engordar” estrangeiros, provocando desemprego no país; Lula disse, ainda que Michel Temer “deveria ser convidado “para sentir o cheiro de um metalúrgico de estaleiro, de uma soldadora, para ele saber que essas pessoas precisam trabalhar”; “É preciso reagir enquanto é tempo”, completou.
http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/292971/Lula-critica-desmonte-da-ind%C3%BAstria-naval-e-pede-rea%C3%A7%C3%A3o-urgente.htm

Lula denuncia fabricação da delação de Léo Pinheiro | Brasil 24/7


Condenado a 26 anos de prisão, o empresário deu uma guinada radical no que vinha declarando e agora acusa o ex-presidente Lula de ser dono do triplex do Guarujá e tê-lo orientado a destruir provas, dando o argumento para o juiz Sérgio Moro decretar a prisão preventiva do ex-presidente por suposta obstrução da Justiça; segundo a defesa de Lula, as acusações de Léo Pinheiro eram condição sine qua non para que ele tivesse acordo de delação premiada firmado. Sua negociação com os procuradores para reduzir sua sentença é pública e documentada; “Claramente, a falsa versão negociada com Léo Pinheiro destina-se a cobrir os furos e inconsistências da denúncia do power-point, além de transferir sem provas, para outra pessoa (Vaccari), a responsabilidade pelos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro pelos quais Pinheiro é acusado na ação. Trata-se de uma farsa em favor do réu e dos levianos promotores”, diz o Instituto Lula; confira a trajetória de como Léo Pinheiro mudou em relação a
http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/291655/Lula-denuncia-fabrica%C3%A7%C3%A3o-da-dela%C3%A7%C3%A3o-de-L%C3%A9o-Pinheiro.htm

Lula: não me conformo com o cinismo de quem aprovou essa terceirização | Brasil 24/7


“Com a terceirização, eles estão levando o Brasil de volta ao passado. Não para melhorar a vida do trabalhador, mas para tirar direitos que eles conquistaram ao longo de tantos e tantos anos de luta”, diz o ex-presidente em vídeo publicado nas redes sociais nesta quarta-feira 29, em crítica ao projeto aprovado pelos deputados nessa semana;

“Ou será que algum empresário, algum deputado que votou pela proposta imaginou que vai melhorar?”, pergunta ele;

“Tudo foi feito para tentar mostrar que a terceirização vai facilitar a criação de empregos, para dizer que o trabalhador vai poder ganhar mais. É mentira”, ressalta Lula, lembrando que a terceirização “vai precarizar as suas condições de trabalho”; ele sugere ainda que o povo vá às ruas: “você não pode aceitar retroceder 60 ou 70 anos atrás”; assista
http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/287714/Lula-n%C3%A3o-me-conformo-com-o-cinismo-de-quem-aprovou-essa-terceiriza%C3%A7%C3%A3o.htm