Moro “exige” de hospital registro de visita que não houve – TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”


O aitatolá Sérgio Moro passou de todos os limites.

No início do mês, exigiu os registros de visitas do assustado Glauco da Costamarques, que afirmara em juízo ter sido procurado por Roberto Teixeira, advogado de Lula, quando se encontrava internado no Hospital Sírio e Libanês.

O hospitla respondeu que não havia registro de visita alguma.

No dia 11, insistiu, para saber se Teixeira estivera no hospital para visitar alguma outra pessoa.

A resposta, de novo, é que não havia registro algum de presença de Teixeira para visitar quem quer que fosse.

Mas acham que Moro se deu por convencido?

Mandou outra intimação para saber se Teixeira entrou no hospital como paciente, numa internação disfarçada…

De novo, claro, a resposta foi não.

Só falta agora exigir as imagens das câmaras do hospital para verificar se o advogado não entrou disfarçado de enfermeira!

Ou se não foi detectada alguma transmissão telepática entre eles.

Porque, afinal, se os fatos não confirmam a
http://bit.ly/2yYNKdh

Anúncios

Exclusivo: Moro e a origem de um novo direito penal, por Joaquim de Carvalho


A expressão delação premiada está presente no ordenamento jurídico brasileiro desde 2013, quando foi aprovada a lei 12.850, mas o conceito já vinha sendo experimentado desde 1990, com a lei do colarinho branco, que estimulava a confissão com o objetivo de obter vantagens na pena.

Uma das primeiras delações premiadas homologadas por Sergio Moro, de Curitiba, foi em 2004, quando não havia, portanto, legislação específica.

Acusado de lavar dinheiro da corrupção, da sonegação e até do trafico, com o Fernandinho Beira-Mar entre seus clientes, Alberto Youssef teve a pena reduzida quando entregou ex-comparsas, todos doleiros e lobistas.

O advogado Roberto Bertholdo foi processado em 2005, alvo de outra delação homologada por Sérgio Moro, a do empresário Antônio Celso Garcia, o Toni Garcia, político paranaense, que tinha sido acusado de aplicar um golpe em clientes de um consórcio.

Roberto Bertholdo, em vez de delatar, reagiu. Grampeou o juiz Moro e o acusou de atropelar a lei na
http://bit.ly/2z0jFtu

Amigo de Moro acusado de tráfico de influência e propina deve ser investigado, defende Damous


Jornal GGN – O advogado Carlos Zucolotto, amigo pessoal de Sergio Moro, deve ser investigado sob a acusação de ter praticado tráfico de influência e cobrado propina para fechar um acordo de delação em favor de Rodrigo Tacla Duran com a equipe da Lava Jato em Curitiba. É o que defende o deputado federal Wadih Damous, do PT.

No domingo (27), a jornalista Mônica Bergamo revelou que os bastidores do acordo de delação que acabou fracassando será revelado por Duran em um livro que ele promete lançar nos próximos meses. Ex-advogado da Odebrecht, Duran é tratado pelos procuradores da equipe de Deltan Dallagnol como doleiro, pois utilizou inúmeras contas que mantém no exterior para lavar dinheiro de empresas que participaram dos desvios na Petrobras, entre outros esquemas.
http://jornalggn.com.br/noticia/amigo-de-moro-acusado-de-trafico-de-influencia-e-propina-deve-ser-investigado-defende-damous

Wadih Damous: fatos sobre Moro “põem sob suspeita toda a Lava Jato” | Brasil 24/7


O deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) publicou uma nota em que cobra investigação do Ministério Público – “não o do Paraná, por óbvio” – e do Congresso Nacional sobre fatos envolvendo o nome do juiz Sergio Moro divulgados no fim de semana na imprensa.

Segundo informou a jornalista Mônica Bergamo, o ex-advogado da Odebrecht Rodrigo Tacla Duran, investigado na Lava Jato, acusa o advogado Carlos Zucolotto Júnior, amigo de Moro, de vender favores na Operação, como a redução de penas e multas.

“Causa profunda estranheza que o juiz Sérgio Moro assuma a defesa enfática de Zucolotto. Causa espécie que o juiz tenha entrado em contato direto com o amigo para enviar uma resposta à Folha de São Paulo”, comenta o deputado, que diz ainda que os fatos “põem sob suspeita toda a operação Lava jato”.

Leia a íntegra da nota:

Os fatos relatados por Duran são de extrema gravidade

1- Pelo relato, resta incontestável que Moro e Zucolotto são compadres e amigos íntimos e que Zucolotto é ex-só
https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/314407/Wadih-Damous-fatos-sobre-Moro-%E2%80%9Cp%C3%B5em-sob-suspeita-toda-a-Lava-Jato%E2%80%9D.htm

Sergio Moro cometeu erro grave na sentença contra Lula: avanço de semáforo não é furto de pão, por Felipe Pena | GGN


João foi acusado de furtar um pão. Ele tem alergia a glúten, mas, ainda assim, o ministério público vê indícios suficientes para apresentar uma denúncia de furto ao juiz da comarca, alegando que o pão poderia ser “desviado” para outra pessoa.

Vamos considerar que o MP tem razão. O que deve fazer o juiz? Ora, é simples: encaminhar o julgamento com base na denúncia de furto. Não há outra alternativa, é o que está na lei.

Entretanto, no meio do julgamento, uma testemunha diz que viu João atravessar o farol vermelho em frente à padaria. Caberia ao juiz abrir um novo processo, já que se trata de outra infração, mas, contrariando a lei, o magistrado condena João por avançar o sinal e ignora o furto do pão. Ou seja, a sentença não tem relação com a denúncia, o que a torna desprovida de qualquer valor jurídico.

Há vários erros na sentença em que Moro condenou o ex-presidente Lula. Poderíamos falar sobre a inobservância das provas apresentadas pela defesa, sobre o excesso de adversativ
http://jornalggn.com.br/noticia/sergio-moro-cometeu-erro-grave-na-sentenca-contra-lula-avanco-de-semaforo-nao-e-furto-de-pao-por-felipe-pena

Lula: Moro foi até bonzinho e me deixou com a perua de 1982 | Brasil 24/7


Em entrevista no programa de José Trajano no Youtube, com a participação também dos jornalistas Juca Kfouri e Antero Grecco, o ex-presidente Lula comentou nesta quinta-feira 20 a decisão do juiz Sergio Moro que confiscou R$ 606 mil de suas contas bancárias, todos os imóveis e dois veículos; “O Moro foi condescendente comigo porque ele me deixou a perua de 1982. Inclusive ela até foi roubada. Espero que eles achem ela”, ironizou; na conversa, Lula disse também que quando chegou à presidência “tinha uma obsessão que era provar que poderia governar melhor que a elite que vinha sendo governo”; assista à entrevista

Na conversa, Lula disse também que quando chegou à presidência “tinha uma obsessão que era provar que poderia governar melhor que a elite que vinha sendo governo”. “As pessoas não respeitam você pelo seu tamanho e sim pelo seu caráter. Ou tem ou não tem”, afirmou.

Lula falou ainda sobre a política externa de seu governo: “Quando voltei de Da
https://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/307408/Lula-Moro-foi-at%C3%A9-bonzinho-e-me-deixou-com-a-perua-de-1982.htm

PT: Moro é cúmplice da Globo!


Depois de condenar o ex-presidente Lula sem provas, de propagar mentiras e contradizer sua própria sentença, o juiz Sergio Moro decidiu agora vingar-se de um inocente. Ao bloquear os bens de Lula, em decisão revelada hoje (19), Moro decretou uma pena de asfixia econômica que priva o ex-presidente de sua casa, dos meios para subsistir e até para se defender das falsas acusações.

Foi uma decisão mesquinha, tramada em segredo ao longo de 9 meses com a Força Tarefa de Curitiba, e concluída após a forte reação da sociedade e do mundo jurídico à sentença injusta no caso do tríplex. É um caso típico de retaliação, de quem se vale da cumplicidade com a Rede Globo para cometer todo tipo de arbitrariedades contra o maior líder popular do País.

A cada decisão que profere, Moro escancara as contradições do processo do tríplex. Ele condenou Lula por ser o suposto dono do imóvel, mas fugiu à prova da inocência, argumentando que a propriedade não seria relevante para o caso.

Reconheceu que a
https://www.conversaafiada.com.br/politica/pt-moro-e-cumplice-da-globo

Moro/Globo intimidados por Lula: “leão” de Curitiba… miou! – de novo!


Muitos leitores vieram me perguntar o que eu achei da condenação de Lula por Sergio Moro ontem. Queriam saber “quando eu ia publicar um artigo sobre isso”.

Confesso que, assim que saiu a notícia, além de postagem sumária nas redes sociais, não pretendia escrever sobre isso não.

E por quê?

Ora, porque essa “notícia” foi uma…

– … NÃO-notícia!

Pior: foi uma não-notícia visando, justamente, a virar a pauta do noticiário em relação a notícias de verdade.

Ia lá eu fazer o jogo da Globo/ Moro e ajudar a pauta fake a subir?

Tratando dela especificamente?

Não…

Nada disso!

Não que o (não) acontecimento seja irrelevante…

Não é bem isso…

A questão é a minha “pegada” como analista…

Como os leitores já sabem, pensando ~estrategicamente~, meu foco costuma ser muito mais no ~subtexto~ do que nos textos disparados pelos diversos atores do jogo político.

E em “atores do jogo político” entram, evidentemente, a Globo e Sergio Moro.

Muito mais import
http://www.romulusbr.com/2017/07/moroglobo-intimidados-por-lula-leao-de.html#more

Gilmar acusa Moro de sequestrador


O Ministro Gilmar Mendes deu entrevista à Fel-lha em que chama o Moro de “sequestrador”, ao fazer os presos de “reféns” e de ser um operador do PiG, ou seja, da Globo:
Como tem sido divulgado [por integrantes da Lava Jato], o sucesso da operação dependeria de um grande apoio da opinião pública. Tanto é assim que a toda hora seus agentes estão na mídia, especialmente nas redes sociais, pedindo apoio ao povo e coisas do tipo.
É uma tentativa de manter um apoio permanente [à Lava Jato]. E isso obviamente é reforçado com a existência, vamos chamar assim, entre aspas, de reféns.

O reféns seriam os presos?
Os presos. Para que [os agentes] possam dizer: “Olha, as medidas que tomamos estão sendo efetivas”. Não teria charme nenhum, nesse contexto, esperar pela condenação em segundo grau para o sujeito cumprir a pena.
Tudo isso faz parte também de um jogo retórico midiático.
Agora, o apoio da opinião pública é importante porque se trata também de um jogo de poder. Você está confrontando
https://www.conversaafiada.com.br/brasil/gilmar-acusa-moro-de-sequestrador

Damous: Moro tem traços de sociopata e age como torturador do DOI-Codi | Brasil 24/7


O deputado Wadih Damous (PT-RJ), que já presidiu a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Rio de Janeiro, publicou um novo vídeo, em que acusou o juiz Sergio Moro, de usar a Polícia Federal como uma polícia política contra seus adversários.

Ele se referia ao caso do blogueiro Eduardo Guimarães, que foi alvo de condução coercitiva e teve seus equipamentos apreendidos, e disse que Moro age como um “fora da lei”.

Ele também afirmou que o juiz paranaense tem traços de sociopata e o comparou aos torturadores Brilhante Ustra e Paulo Malhães, da ditadura. Damous se referia ao fato de Moro ter desqualificado Eduardo Guimarães, em seu “pedido de desculpas” – no documento, Moro disse que Guimarães foi logo entregando a fonte e, portanto, não poderia ser considerado um verdadeiro jornalista.

“Não é papel de juiz fazer considerações morais sobre cidadãos”, diz ele. Damous lembrou que Guimarães tem uma filha com paralisia cerebral e que já enfrenta situações de fragilidade emocional.
http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/286751/Damous-Moro-tem-tra%C3%A7os-de-sociopata-e-age-como-torturador-do-DOI-Codi.htm